Patentes podem ser a arma da Huawei contra os EUA

Patentes podem ser a arma da Huawei contra os EUA

Empresa tem mais de 56 mil registros ativos em telecomunicações, infraestrutura de rede e outras inovações e é líder no fornecimento de estruturas para 5G

No meio de um fogo cruzado da guerra comercial entre Estados Unidos e China, a chinesa Huawei vem absorvendo diversos golpes, mas parece ter ficado cansada de apanhar. Até poucas semanas atrás, a empresa estaria disposta, até, a assinar um “acordo antiespionagem”. Mas o fundador Ren Zhengfei declarou recentemente estar surpreso com a determinação norte-americana em “quebrar” sua empresa e já tem armas para o contra-ataque: suas patentes.

Huawei conta com suas patentes

De acordo com um artigo do site Tecmundo, aparentemente, a Huawei já tem respostas engatilhadas, que envolvem as milhares de patentes pertencentes à empresa. Segundo a firma propriedade intelectual Anaqua AcclaimIP, a fabricante chinesa possui 56.492 registros ativos, de um total de 102.911 publicados, em telecomunicações, infraestrutura de rede e outras inovações.

E dentro de todas as patentes, o que mais assusta os principais rivais da Huawei, entre eles os Estados Unidos, é a liderança no fornecimento de estruturas de rede para 5G, a próxima geração da internet móvel.

Controle da propriedade intelectual

Segundo o Tecmundo, o grande temor dos norte-americanos e também da Europa, que também aderiu às sanções comerciais impostas à fabricante chinesa, é que a empresa use de dispositivos legais para controlar suas propriedades intelectuais ao redor do mundo. Além, é claro, de uma suposta espionagem em prol do governo chinês dentro do ecossistema tecnológico.

No bloco europeu, por sinal, a influência da Huawei é ainda maior, uma vez que são diversos países com diferentes empresas usando alguma patente da fabricante chinesa. Sendo que a chegada do 5G tem tudo para evidenciar o poder da empresa e sua capacidade de retaliar o embargo comercial.

As patentes da Huawei, por sinal, estão ligadas a necessidades vitais de muitos produtos e serviços. De acordo com  Tecmundo, a empresa chinesa vem negociando licenciamentos com a operadora de telefonia norte-americana Verizon, está em meio a uma disputa sobre valor de patentes com a Qualcomm e recentemente notificou a Harris Corp em um caso de violação de título em segurança de rede e nuvem.

Ainda não conhece a PROTESTE? Clique aqui e entenda como ajudamos o consumidor a defender seus direitos.