Dia Mundial das Telecomunicações: muito a melhorar

Dia Mundial das Telecomunicações: muito a melhorar

PROTESTE e Consumare celebram hoje o Dia Mundial das Telecomunicações diante de um dado incômodo: serviço lidera ranking de reclamações no Brasil

Nesta sexta-feira, 17, a PROTESTE, Associação de Consumidores, em parceira com a Consumare (Organização Internacional de Associações de Consumidores de Língua Portuguesa da qual a PROTESTE é sócia-fundadora), celebra o Dia Mundial das Telecomunicações e da Sociedade da Informação, relembrando a criação da União Internarcional das Telecomunicações em 1865.

A telecomunicação permite o compartilhamento mundial de informações e a aproximação dos diferentes povos, concretizando, assim, o conceito de que vivemos numa aldeia global, em que todos os fatos estão à distância de um clique e em constante mutação.

Os serviços de telecomunicações lideram o ranking de reclamações no Brasil. De acordo com a PROTESTE, de maio de 2018 até agora, foram registradas 4.796 reclamações no setor:

  1. Telefonia móvel: 1.479 reclamações (31%);
  2. Serviço de Internet: 1.121 reclamações (23%);
  3. Serviço misto, combo: 910 reclamações (19%);
  4. Serviço televisivo: 525 reclamações (11%);
  5. Outros serviços: 431 reclamações (9%);
  6. Telefonia fixa: 330 reclamações (7%).

Bloqueio da internet fixa

Dentro deste cenário, a PROTESTE já se manifestou inúmeras vezes pelo fim do bloqueio da internet fixa, criando, inclusive, uma campanha para mobilizar os consumidores, que contou com a assinatura de mais de 170.000 pessoas. Além disso, ingressamos com ação civil pública contra essa prática.

Atualmente, o corte da internet fixa encontra-se suspenso por uma cautelar da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), mas a agência ainda está avaliando a conveniência e oportunidade da medida.

Agenda do consumidor

Em sua “Agenda do Consumidor”, com pautas a serem tratadas pelos governantes entre 2019 e 2022, a PROTESTE defende o PL 7.182/2017 (originalmente, PLS 174/2016) tem o objetivo de acabar com as limitações da franquia e, atualmente, está sob análise da Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática (CCTCI) da Câmara dos Deputados, aguardando o parecer do relator.

A PROTESTE e a Consumare acreditam que os consumidores são, frequentemente, confrontados com falta de informação e transparência na prestação deste serviço. Ambas as Associações esperam que as entidades reguladoras estabeleçam uma agenda de diálogo com as associações de defesa do consumidor e penalizem as operadoras pela venda de serviços sem a devida qualidade.

Para mais informações entre no site da PROTESTE: conectaja.proteste.org.br

Ainda não conhece a PROTESTE? Clique aqui e entenda como ajudamos o consumidor a defender seus direitos.