6 capítulos da guerra das maquininhas de cartão de débito e crédito

6 capítulos da guerra das maquininhas de cartão de débito e crédito

Concorrência entre as empresas que fornecem o serviço a lojistas gerou queda de taxas e redução dos prazos de pagamentos

As empresas de maquininhas de cartões abriram uma guerra no mês de abril. A GetNet, do Santander, foi uma das primeiras a anunciar mudanças nos prazos e taxas praticados com lojistas. Em seguida, a Rede, do Itaú, foi pelo mesmo caminho. E outras seguiram. Veja uma linha do tempo das ações tomadas pelas empresas.

12/04 – GetNet reduz taxas

GetNet, do Santander, unificou e reduziu as taxas cobradas nas operações de débito e crédito à vista (uma parcela). Além disso, antecipou o pagamento dos recebíveis para dois dias.

19/04 – Rede zera taxas

Rede, credenciadora de cartões do Itaú, zerou sob determinadas condições suas taxas. No entanto, seria preciso ter conta no Itaú, o que gerou questionamento no Cade.

22/04 – PagSeguro antecipa pagamentos

PagSeguro anunciou que vai liberar o dinheiro da venda em até uma hora. No entanto, a taxa cobrada pode ser diferente das tradicionais.

24/04 – Cielo antecipa pagamentos

A Cielo anunciou que realizará pagamentos de recebíveis de forma instantânea a clientes que possuem conta na empresa.

26/04 – SafraPay segue a Rede

O Safra Pay, do Banco Safra, que já oferece as maquininhas de forma gratuita, isentou lojistas da taxa cobrada sobre as operações de crédito, desde que o faturamento seja limitado a R$ 50 mil ao mês.

26/04 – Trust zera taxas e dobra crédto

A fintech Trust dobrou o crédito oferecido aos lojistas e zerou a taxa de antecipação para os usuários da TrustPay.

02/05- Rede volta a zerar taxas

Rede zerou as taxas de antecipações de recebíveis nas compras com cartão de crédito à vista. Também só vale para clientes do Itaú.

Ainda não conhece a PROTESTE? Clique aqui e entenda como ajudamos o consumidor a defender seus direitos.