Executiva do Euroconsumers faz balanço positivo da GDPR

Mª Ángeles Hernández, responsável de Proteção de Dados da Euroconsumers, grupo de organizações de defesa do consumidor do qual a PROTESTE faz parte, vê maior poder para os cidadãos com a lei de proteção de dados da União Europeia

O Regulamento Geral de Proteção de Dados Pessoais da União Europeia (GDPR) entrou em vigor em maio de 2018. Nesse contexto, a encarregada de Proteção de Dados do Euroconsumers Group, Mª Ángeles Hernández, ao qual a PROTESTE é associada, gravou um vídeo no qual faz um balanço de um ano da entrada em vigor da GDPR.

Segundo a executiva, o processo de adaptação das empresas foi intenso nesse período. No entanto, ela ressalta que as empresas que entenderam esse novo momento da economia mundial com relação à privacidade de dados, no qual os cidadãos estão no controle de seus dados pessoais, estão na iminência de obter uma vantagem competitiva em suas relações comerciais.

A executiva classifica como positivo o balanço de um ano da GDPR. Por um lado, a GDPR ajudou a unificar as regulações de proteção de dados em outros países da União Europeia. Por outro, os cidadãos passaram a conhecer melhor os seus direitos com relação à proteção de dados pessoais. Segundo ela, 2/3 dos europeus já ouviram falar da regulação.

Esse número se refletiu na participação dos cidadãos. O número de reclamações chegou a 150  mil em um ano. E segundo a executiva, não só porque os cidadãos reconheceram que seus dados têm um valor financeiro, como também pela própria preocupação com a privacidade.

A executiva também comentou em relação aos próximos passos a serem dados pelas empresas. Um deles é na direção de melhorar produtos e serviços que usam dados pessoais, implementando o princípio de privacidade por design. Nesse contexto, ela destaca a necessidade do treinamento contínuo nas companhias no sentido de implementar políticas de privacidade que vão dar vantagem competitiva.

No Brasil, a PROTESTE também está atenta à privacidade de dados dos cidadãos. Nesse contexto, lançou iniciativas como o Websegura, em parceria com o Google, para ajudar as pessoas a se manterem seguras no ambiente online, e está promovendo um curso para formar profissionais que vão ajudar as empresas a estarem adequadas à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).