Confira dicas para evitar que seu WhatsApp seja clonado

Confira dicas para evitar que seu WhatsApp seja clonado

Existem diversas formas de hackers assumirem o controle da conta de uma pessoa. Saiba como se precaver desses golpes

Os golpes pelo WhatsApp são cada vez mais comuns. O chamariz é sempre o mesmo: fotos, mensagens bonitinhas, promoções que oferecem descontos imperdíveis e links com informações que parecem importantes, e por aí vai. Uma vez que você clica e o estrago está feito.

Segundo especialistas, o maior risco está na versão do WhatApp Web. A novidade é a clonagem do aplicativo, com sequestro de informações. Ou seja, uma pessoa consegue obter os dados do perfil e utiliza todas as informações do usuário.

Clique aqui para ler esta matéria: Aprenda como carregar bilhete único em SP via Whatsapp

Como se precaver? A receita é a mesma: não baixe e não compartilhe links, não distribua mensagens de promoções. Além disso, com a onda de clonagem, faça a verificação do WhatsApp em duas etapas.

Hackers que exploram esse tipo de golpe dispõem de várias formas para sequestrar ou roubar a conta de alguém no WhatsApp. Inclusive com a instalação de programas espiões (malware) para roubar dados por um download de foto compartilhada. Por exemplo, essa imagem, que pode ser um simples GIF, pode conter um código malicioso. Portanto, se a imagem com malware for baixada baixada, o invasor ganha acesso ao armazenamento interno dos arquivos dos aplicativos.

Depois disso, são poucos passos até o controle total da conta. Em seguida, o celular infectado passa a reenviar a mensagem para contatos de confiança da conta.

Golpe pela caixa postal de voz

Outra forma de clonar o WhatsApp é pela caixa postal de voz das operadoras de telefonia. Para acessar o correio de voz, é necessário saber o código PIN de quatro caracteres. Portanto, quando não se muda a senha padrão da conta, ela permanece 0000 ou 1234. Isso facilita a ação de hackers.

Dessa forma, o hacker instala o WhatsApp no smartphone e tenta entrar em uma conta já ligada a um certo número. A entrada na ferramenta é confirmada por SMS com senha. Por exemplo, se o dono da conta não perceber a mensagem, outro modo de verificação é ativado. Nesse caso, a senha é enviada para a caixa postal. Basta, então, entrar no serviço de recados da vítima, usando a senha, que muitas vezes não é trocada.

Em seguida, o novo usuário faz a autenticação em duas etapas e a vítima “perde” a sua conta. No entanto, esse tipo de golpe requer a infiltração de um membro da quadrilha na operadora de celular.

Veja as dicas para não ter problemas, segundo matéria publicada no jornal O Dia.

Ative a verificação em duas etapas

Com a dupla proteção ativada, o app vai pedir uma senha de seis dígitos de tempos em tempos. Caso alguém consiga clonar o número de telefone e tente configurar o WhatsApp, vai precisar também saber essa senha. Fica muito mais difícil.

Verifique onde o app está aberto

Basta ir em Ajustes > WhatsApp Web/Desktop e ver em que dispositivos sua conta está ativa.

Fique alerta às mudanças de código

Ao ativar a exibição de notificações de segurança no WhatsApp, o app vai alertar todas as vezes que o código de segurança de um contato mudar. Isso ocorre quando o celular é trocado ou formatado ou quando o WhatsApp é instalado novamente, ainda que no mesmo aparelho. Se você vir o alerta amarelo, desconfie.

Desconfie de solicitação de dinheiro

Essa é mais uma dica para evitar ser vítima de um pedido de dinheiro feito por alguém que tenha invadido o perfil do WhatsApp de algum conhecido. Duvide sempre que alguém pedir dinheiro ou o envio de dados pessoais pelo app. Tente verificar de outra forma, como ligando para outro número de telefone.