Saiba como a tecnologia 5G vai afetar a sua vida

Saiba como a tecnologia 5G vai afetar a sua vida

Anatel está definindo os parâmetros para o uso da nova geração de rede celular; conheça suas características e principais aplicações

A Anatel colocou em consulta pública em setembro deste ano os parâmetros para o uso das frequências que serão destinadas à chamada rede 5G pelas operadoras de celular. Mas você sabe o que é o 5G? E quando ele vai fazer parte da sua vida? E se vai afetar o seu celular atual? Diante disso, o ConectaJá preparou esse guia para que você possa ficar informado sobre essa etapa da evolução da comunicação de dados e voz.

Assim, o 5G é a quinta geração de telefonia celular. Ela irá permitir velocidades de até 100 megabits para os usuários. Para se ter uma ideia, a tecnologia atual, 4G, permite chegar a uma velocidade de até 10 megabits. Portanto, a geração posterior terá capacidade dez vezes maior do que a atual. Com uma velocidade de 100 megabits, é possível, por exemplo, baixar um filme de 700 megabytes em menos de um minuto.

Mas não é na telefonia celular pessoal que a 5G causará o maior impacto. Decerto, ela ampliará as possibilidades com os aparelhos móveis. Mas sua influência mais significativa será no desenvolvimento tecnológico da chamada internet das coisas (IoT, na sigla em inglês). Por exemplo, se o ar condicionado de sua residência estiver conectado à internet, você poderá avisá-lo que está chegando e acionar seu funcionamento. Assim, quando você chegar em casa, a temperatura já estará ajustada a seus gosto.

IOT, Internet of Things

“Internet das Coisas” (Crédito: 123RF)

Portanto, veículos, prédios, eletrodomésticos e outros objetos poderão estar conectados à internet e serem acionados remotamente ou enviarem informações a seu usuário. Além disso, o 5G também viabilizará as chamadas cidades inteligentes. Tecnologias de transmissão de vídeo também serão beneficiadas pela nova geração de rede celular.

Tecnologia também nos negócios

Não só o 5G fará parte do dia a dia das pessoas, como também do cotidiano das empresas. Por exemplo, a SPRO It Solutions apresentou durante um evento em agosto deste ano um projeto piloto para aviários. Ela instalou sensores para monitorar a ambiência, temperatura, umidade, luminosidade, entre outros itens. A partir desses dados, transmitidos pela rede celular, ela ajuda o dono do estabelecimento a tomar decisões e melhorar sua produtividade.

Só que o uso desse tipo de tecnologia é limitada pela conectividade. De acordo com José Marcos Câmara Brito, do Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel), em matéria da Agência Brasil, as atuais tecnologias como o 4G ainda estão limitadas pelas taxas de transmissão de dados, capacidade de chegar a distâncias superiores a 15 quilômetros de distância ou alto custo. Assim, o 5G pode chegar para melhorar não só a vida das pessoas, como dos negócios.

José Marcos Camara Brito no evento Futurecom 2017

José Marcos Camara Brito no evento Futurecom 2017. (Foto: Inatel Tecnologias)

As atuais tecnologias como o 4G ainda estão limitadas pelas taxas de transmissão de dados, capacidade de chegar a distâncias superiores a 15 quilômetros de distância ou alto custo.

Quando o 5G chegar, vou precisar comprar um outro aparelho celular?

Essa é uma pergunta que pode pairar na cabeça das pessoas. No entanto, quem estiver satisfeito com sua velocidade atual para o uso de tarefas comuns, não precisará adquirir outro equipamento. Por exemplo, para ler e-mails, mandar mensagens pelo Whatsapp ou ver vídeos no Youtube. Contudo, pessoas que fazem uso de aplicativos que demandam altas velocidades de conexão, precisarão ter um aparelho preparado para o 5G.

E quando o chega o 5G?

Essa resposta ainda não é totalmente definitiva. Embora os primeiros aparelhos 5G estejam chegando às lojas no exterior no fim deste ano, no Brasil ainda vai demorar. A Anatel pretende realizar um leilão oferecendo as faixas do 5G no fim de 2019 ou somente em 2020.

Isso porque a agência estaria esperando o estabelecimento dos padrões do 5G. “Hoje não existe um ecossistema maduro para o 5G, sobretudo nos celulares. Ainda que existam estações de radiofrequência (antenas de celular), não existem aparelhos”, comentou o presidente da Anatel, em reportagem publicada pelo UOL.