Smartwatch: dicas para você escolher o equipamento

Smartwatch: dicas para você escolher o equipamento

Nem sempre o relógio mais caro vai ser o mais adequado para a suas necessidades; saiba o que levar em conta

Você já parou para reparar como o smartwatch tem se popularizado? Cada vez mais, os chamados relógios inteligentes estão ganhando os pulsos daqueles que têm uma queda maior por gadgets e tecnologia em geral. Há marcas e modelos dos mais diversos, com diferentes tipos de funções, tamanhos e preços. E você, já pensou em comprar um?

Por isso, para escolher o seu smartwatch, não basta só olhar como ele fica no seu braço. Afinal de contas, ele faz muito mais do que um relógio de pulso normal, que apenas informa as horas.

O portal UOL publicou recentemente um artigo em sua editoria de Tecnologia com dicas para você escolher o smartwatch perfeito para as suas necessidades. Vejam aqui o que precisa ser levado em consideração.

O relógio é compatível com o seu smartphone?

O artigo lembra que de nada adianta você comprar um Apple Watch, se o seu smartphone não for compatível. Afinal de contas, para ter a experiência completa de um smartwatch, é preciso que ele esteja totalmente conectado ao seu celular.

Se você tem um iPhone, pode adquirir um Apple Watch sem preocupação, uma vez que ele só sincroniza com os celulares da “maçã mordida”. Já os relógios inteligentes de outras marcas, como Samsung, por exemplo, podem funcionar tanto com smartphones Android quanto iOS. Nesse caso, é importante pesquisar sobre a compatibilidade.

Smartwatch compatível com smartphone

Escolha seu próximo smartphone. Nós da PROTESTE te ajudamos.

Custo-benefício do smartwatch

Nem sempre, o relógio mais caro vai ser o mais útil para você. Por exemplo, se você precisa do relógio como um acessório na prática de esportes, o Apple Watch 4, que custa R$ 3.999, não tem bom custo-benefício. A pulseira Mi Band 3, da chinesa Xiaomi, cumpre o mesmo papel e custa apenas R$ 200.

E por falar em esportes

O smartwatch é uma ótima ferramenta para quem gosta de praticar atividades físicas. E se esse é o seu perfil, você precisa buscar o aparelho que se adeque ao tipo de esporte que você faz. Para nadar, por exemplo, é fundamental um gadget à prova d’água. Seja ele uma pulseira ou um relógio. Por outro lado, se você é maratonista e corre longas distâncias, um GPS embutido em parceria com o seu smartphone é um conjunto infalível.

Homem correndo e olhando smartwatch

Os seus aplicativos

No caso dos Apple Watches, os apps utilizados são os mesmos nativos do iPhone. Agora, se você tem um smartphone e um relógio de fabricantes diferentes, certamente terá que lidar com apps diferentes entre ambos. Nesse caso, o artigo do UOL recomenda que você baixe os apps antes de comprar o aparelho. Para checar suas funcionalidades.

Vale a pena ter um híbrido?

Tradicionais fabricantes de relógios comuns ou de luxo já têm seus modelos chamados “híbridos”. Ou seja, são relógios tradicionais, com ponteiros, mas que também oferecem funções. Entre elas a conectividade bluetooth e opções “inteligentes”, como contador de passos. Mas no frigir dos ovos, estão mais para “relógios convencionais com funções adicionais” do que para smartwatches. Acima de tudo, a principal vantagem dos híbridos é a longa duração da bateria, que é o calcanhar de Aquiles dos relógios inteligentes.

Clique aqui e leia esta matéria: Usuários de iPhone têm problemas de conexão com o iOS 12.1.12

Bateria

Vale a pena ficar de olho nos modelos que apresentam maior duração da bateria. Os aparelhos mais parrudos costumam demandar novas cargas em intervalos mais curtos. O Galaxy Watch da Samsung, por exemplo, tem autonomia para cerca de 45 horas em uso normal. Enquanto a a bateria do Apple Watch 4 varia na faixa de 18h de duração, dependendo do uso.

Mas há modelos de relógios, principalmente os voltados para a prática de esportes, e pulseiras inteligentes que consomem bem menos bateria. O Xiaomi Mi Band 3, por exemplo, pode passar 20 dias sem precisar de uma nova carga.