Smartphones dobráveis: veja a avaliação da PROTESTE

Smartphones dobráveis: veja a avaliação da PROTESTE

Para PROTESTE, celulares dobráveis são caros e não trazem melhorias na usabilidade; saiba mais!

Entre as inovações tecnológicas mais recentes estão os aparelhos celulares com tela dobrável. No entanto, embora sejam realmente uma novidade, na avaliação da PROTESTE eles ainda não oferecem uma melhora significativa de uso e funcionalidade. 

“A tela maior em um menor espaço físico facilita a utilização, mas o aparelho ainda é grande por causa das dobraduras. Assim, não responde tão bem às funções como tablet, porque é menor, nem como smartphone, já que é mais grosso e pesado”, explica Thiago Porto, especialista PROTESTE.

Preços elevados

Além disso, os preços desses aparelhos ainda são caríssimos. O modelo Galaxy Fold, da Samsung, que já está saindo do mercado para ser substituído por sua nova versão, é encontrado a R$ 11.699 em apenas um varejista. “São poucos os consumidores dispostos a investir valores tão altos em aparelhos que ainda precisam de muita melhoria”, destaca Thiago. A nova aposta da Samsung é o Galaxy Z Fold2, com o preço de R$ 13.999.

Já o Samsung Galaxy Z Flip (com abertura na vertical igual ao modelo da Motorola) custa, em média, de R$ 5.999 a R$ 8.099.  O Motorola Razr, único modelo da marca que é dobrável no mercado brasileiro, varia de R$ 6.916 a R$ 7.997. O único modelo um pouco mais acessível é o LG G8x ThinQ com duas telas, que sai por valores entre R$ 2.699 e R$ 2.999.

Entenda melhor como funciona o smartphone dobrável

Os telefones dobráveis apresentam um mecanismo que aumenta o tamanho da tela. Essa característica os diferencia dos antigos celulares de flip, que tinham o visor e o teclado físico separados por uma dobradiça. A tela dos novos modelos é ininterrupta ou em dois monitores, sendo um em cada lado do aparelho.

Por enquanto, os smartphones dobráveis são encontrados apenas com o sistema operacional Android no mercado. No Brasil, as marcas Motorola e Samsung oferecem esses modelos com telas flexíveis e tecnologia Oled (mais fina e com maior qualidade). A LG disponibiliza o aparelho dobrável com duas telas separadas. Já a Huawei e a Xiaomi, embora estejam presentes no mercado brasileiro, ainda não comercializam no país as opções dobráveis.

Confira as vantagens e desvantagens dos smartphones dobráveis

Além dos preços altíssimos, os aparelhos dobráveis ainda apresentam muitas desvantagens, como fragilidade, espessura grossa e tela mais quadrada, o que prejudica assistir a vídeos pelo YouTube, por exemplo.

Vantagens

  1. As telas grandes são os maiores atrativos. O Galaxy Fold se desdobra em um display de 7,3 polegadas. A tela extra desse aparelho deixa a navegabilidade melhor de alguns aplicativos, como o GPS, que tem uma área maior para exibir as rotas.
  1. Os fabricantes afirmam que existe um melhor suporte multitarefa devido ao software e recursos de interface do usuário. Porém, essas características já estão acessíveis no Android. Por exemplo, você pode enviar uma mensagem pelo WhatsApp ao mesmo tempo em que se assiste a um vídeo no YouTube.
  1. O modelo Galaxy Z Flip pode permanecer meio desdobrado. Isso permite sustentar o telefone como em um tripé de câmera improvisado.
  1. Alguns aparelhos possibilitam que a tela externa mostre uma visualização do visor da câmera principal, que costuma fotografar melhor do que a câmera de selfie embutida. Mas isso não funciona no Galaxy Fold.
  1. O LG G8X Dual Screen é capaz de exibir um e-book nas duas telas, com as páginas lado a lado, cuja experiência de leitura torna-se mais semelhante a um livro real. Além disso, é possível usar uma das telas como um controle em jogos. A tela grande também permite que o teclado seja maior, o que torna mais fácil a digitalização.

Desvantagens

  1. A espessura do aparelho fechado é mais grossa do que a dos convencionais. O Galaxy Z Flip tem cerca de 17 mm de espessura, enquanto o modelo Galaxy S20, 7,9 mm, e a maioria do mercado, menos de 10 mm.
  2. A tela do Galaxy Fold tem uma proporção bastante quadrada (4,2:3) e a do Mate Xs, ainda mais (9:8). Ao assistir a um conteúdo do YouTube no formato padrão de 16:9, isso resulta em grandes barras pretas acima e abaixo da imagem do vídeo.
  3. As avaliações da PROTESTE mostraram que esses aparelhos são muito frágeis e que as superfícies de plástico acima das telas estão sujeitas a arranhões e ranhuras.
  4. O mercado ainda não disponibiliza películas para a proteção da tela desses modelos. Embora nosso teste de durabilidade das dobraduras não tenha verificado problemas significativos, muitos avaliadores e consumidores já acharam problemas nas dobradiças dos aparelhos. Além disso, eles permitem a entrada de poeira na abertura das dobradiças e não têm resistência à água.

 

Nossos testes ajudam os consumidores a tomarem as melhores decisões de compra. Mas, se tiver problemas, não deixe de reclamar! CONHEÇA O RECLAME arrow_right_alt