Privacidade Hackeada: Filme discute privacidade online

Privacidade Hackeada: Filme discute privacidade online

Documentário da Netflix tem como pano de fundo os escândalos protagonizados pelo Facebook no episódio da Cambridge Analytica

A Netflix lançou no final de julho no Brasil o documentário Privacidade Hackeada. Como pano de fundo, os escândalos protagonizados pelo Facebook no episódio da Cambridge Analytica, empresa que coletou os dados de 87 milhões sem consentimento e colocou em xeque a privacidade online dos usuários da rede.

O trailer do documentário já dá uma ideia do conteúdo. “Quem já viu uma propaganda que te convenceu que o seu microfone está ouvindo suas conversas? Todas as suas interações, as transações do cartão, pesquisas da web, localizações, curtidas, tudo isso é coletado em tempo real numa indústria trilionária”. “Dados superaram o valor do petróleo. É o bem mais valioso da terra“.

Nesse contexto, Privacidade Hackeada aborda o escândalo sob o ponto de vista de várias personagens. Alguns deles, ex-funcionários da Cambridge Analytica. David Carroll, professor associado da Parsons School of Design, de Nova York, se empenha em descobrir quais dados Cambridge Analytica reuniu sobre ele. Sua visão é colocada à tona no documentário, que é dirigido por Jehane Noujam e Karin Amer.

Além disso, a produção da Netflix conta com a participação da jornalista investigativa do The Guardian, Carole Cadwalladr. Ela expõe como foram as descobertas em torno do escândalo. Além dela, Julian Wheatland, ex-diretor de operações da Cambridge Analytica participa do filme.

A privacidade online e a economia de dados

Estamos vivendo a era em que a economia de dados é a própria economia. Ela nada mais é do que o ecossistema global digital no qual a imensidão de dados produzidos a cada segundo nas mais variadas atividades são reunidos, organizados e trocados por uma rede de vendedores para derivar valor da informação acumulada.

+Leia também: Vetos à LGPD: o que dizem os especialistas sobre o assunto

Foi na esteira dessa economia de dados que pioneiramente a União Europeia criou a GDPR (Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados, em português). Essa mesma regra inspirou a nossa Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Mais de uma centena de países têm leis semelhantes.

Sabe aqueles momentos que você tem um problema mas não consegue resolver sozinho porque a empresa reclamada não está nem aí? São nesses momentos que a PROTESTE pode intervir e resolver para você! Conte com uma equipe em Defesa dos Consumidores e pare de se estressar!