Telefonia móvel: linhas pós-pagas são quase metade da base

Telefonia móvel: linhas pós-pagas são quase metade da base

O crescimento da modalidade no primeiro trimestre de 2019 foi de 2,65%, com 2,6 milhões de novos chips no período

De acordo com a Anatel, as linhas pós-pagas registraram 102,24 milhões de unidades em operação no mês de março de 2019. O número significa um crescimento de 2,65%, ou 2,6 milhões de novos chips no primeiro trimestre do ano. Somente em março, esse avanço foi de 0,89%, com 905 mil novas linhas adicionadas à base. Com esse crescimento, os assinantes de serviços pós-pagos já alcançam 44,67% do total de usuários de telefonia móvel no Brasil.

Linhas pós-pagas crescem

O aumento é de 6 pontos percentuais de participação em 12 meses, resultado de um acréscimo no volume de linhas pós-pagas de 12,89% (mais 11,67 milhões de unidades). No mesmo período, as linhas pré-pagas apresentaram queda de 12,79%, um total de 18,58 milhões de unidades a menos. Com isso, a base ficou com 126,64 milhões de chips em operação ao final de março.

Dessa forma, o Brasil encerrou março de 2019 com 228,88 milhões de linhas móveis em operação. Uma diminuição de 2,93%, ou 6,91 milhões, do total de linhas no país em 12 meses.

Empresas que mais ganharam clientes

Ainda de acordo com o levantamento da Anatel, a empresa que mais ganhou clientes de fevereiro para março, tanto no pré quanto no pós, foi a Vivo: 102,5 mil novos assinantes, numa base que alcançou 73,5 milhões de linhas. A Claro perdeu 33,9 mil usuários e passou a 56,3 milhões de assinantes. Enquanto a Nextel ganhou 32,2 mil e chegou em 3,4 milhões. Juntas, as duas empresas, que hoje fazem parte do mesmo grupo, têm 59,8 milhões de usuários.

A maior queda no número de clientes de fevereiro para março foi registrada pela TIM. Com 260,1 mil usuários a menos, a operadora chegou a 55 milhões de chips ativos. Já a Oi perdeu 7,6 mil linhas e fechou o mês de março com 37,6 milhões usuários ativos.

Divisão entre pré e pós das operadoras

As quatro maiores operadoras registraram números positivos se consideradas apenas adições de linhas pós-pagas. A Claro obteve 327 mil novos clientes, seguida por Vivo (250 mil), Oi (139 mil) e TIM (74,7 mil). Com isso, a proporção de pós-pagos frente à base entre as quatro maiores operadoras ficou assim:

Claro: 57% Pré / 43% Pós
Vivo: 44% Pré / 56% Pós
Oi: 71% Pré / 29% Pós
Tim: 63% Pré / 37% Pós

LTE

A LTE, sigla usada para LONG TERM EVOLUTION, ou seja, rede que se utiliza da tecnologia de quarta geração (4G) também tem registrado forte crescimento. Segundo Mobile Time, 2,3 milhões de novos acessos foram contratados no mês de março. Na contagem geral, os acessos 4G passaram de 133,5 milhões para 135,8 milhões, o que significa um avanço mensal de 1,35%. No acumulado do primeiro trimestre, mais de 6 milhões de novos chips com tecnologia 4G foram ativados no Brasil.

Por outro lado, o 3G (WCDMA) caiu 3,85%, segundo o Mobile Time, o que representa 1,9 milhão de acesso móveis a menos. Em março, a tecnologia somava 47,4 milhões de usuários. O 2G (GSM), por sua vez, caiu 4% (menos 921 mil) e chegou a 21,9 milhões de chips ativos.

Ainda não conhece a PROTESTE? Clique aqui e entenda como ajudamos o consumidor a defender seus direitos.