Como a tecnologia pode ajudar em tempos de reclusão

Como a tecnologia pode ajudar em tempos de reclusão

O isolamento social provocado pelo coronavírus tem deixado o mundo mais conectado à internet. Saiba como usar bem a tecnologia e se proteger de ataques virtuais

Praticamente todo o mundo está de quarentena por conta do novo coronavírus. E o isolamento social necessário para ajudar a frear a disseminação da Covid-19 tem sido um desafio para toda a humanidade. Em tempos difíceis como esses em que estamos, a tecnologia pode ser uma grande aliada, apesar de também guardar algumas armadilhas. Para falar sobre o assunto, o pesquisador Thiago Porto, da PROTESTE, participou nesta terça-feira (24/3) de mais uma live da série Tête-à-Tête com a PROTESTE, no Instagram da associação.

No bate papo pelo Instagram, ele falou sobre diversos benefícios que aplicativos e serviços online podem oferecer às pessoas que estão confinadas por conta do coronavírus, tanto para assuntos pessoais quanto profissionais. Mas fez questão de lembrar também dos riscos causados pelos hackers e golpistas, que espreitam o mundo virtual.

Veja algumas dicas do especialista:

Universidades e escolas

As universidades e escolas estão lançando mão de ferramentas terceirizadas para continuar suas aulas. Entre as ferramentas, estão o próprio PowerPoint, o Google Classroom, Microsoft Teams e Seesaw, Managebac, bem como aplicativos de conversa por voz e vídeo. Assim, os alunos conseguem interagir fazendo perguntas e tirando dúvidas. 

Cursos online

Existem várias opções no mercado, como o Duolingo, para línguas, e o Udemy, que têm cursos terceirizados dos mais diversos. O consumidor consegue ter acesso a essas e outras plataformas tanto via site como por aplicativo, para conseguirem aprender alguma coisa. 

Festas online e interação social

Amigos e conhecidos têm feito festas por videochamadas, usando ferramentas como o Zoom, por exemplo. No WhatsApp é possível fazer chamadas de vídeo com até quatro pessoas em conferência. O Instagram tem sido muito usado para lives.

Órgãos oficiais de informação

A Organização Mundial de Saúde, em parceria com o WhatsApp e o Facebook, lançaram no dia 20 de março o WHO Health Alert. O serviço – em inglês – pode ser acessado por meio deste link, abre uma conversa no WhatsApp, onde o usuário pode simplesmente digitar “Hi” para interagir com a ferramenta, tirando dúvidas sobre o Covid-19.

No Brasil, o Ministério da Saúde tem um número de WhatsApp que funciona como um canal para que o órgão apure a veracidade de informações que circulam na rede. Qualquer cidadão pode enviar gratuitamente mensagens com imagens ou textos duvidosos que tenha recebido nas redes sociais para o número (61) 99289-4640.

Mas a principal e mais segura fonte de informação sobre o coronavírus, de acordo com Thiago, é o aplicativo oficial do Sistema Único de Saúde (SUS). Com opções para iOS e Android, o programa orienta a respeito dos sintomas e é a melhor forma de você saber se você corre o risco de estar com a doença Covid-19. E ainda mostra todos os hospitais perto de você. 

Ataques virtuais

Thiago alerta para os ataques protagonizados por criminosos digitais que se aproveitam do isolamento das pessoas. O chamado Phishing é a principal preocupação. Hoje, você pode receber uma mensagem por SMS ou via WhatsApp relacionada ao coronavírus, sugerindo que você clique em um determinado link. Pode ser um Phishing. Ou seja, ele te dá uma isca e, ao clicar, você dá acesso ao seu aparelho – e por consequência aos seus dados, a hackers. Não clique em links suspeitos.

Nos aparelhos Android, ter um antivírus ajuda a prevenir. A PROTESTE faz testes de antivírus todos os anos e recomenda: é importante sempre ter algum instalado. O Android puro não consegue prever nenhum tipo de malware. E esses apps conseguem, sim, parar alguns ataques. Aparelhos iOS não têm antivírus.

isolamento social
Prioridade para o internet banking

O especialista afirma que fazer serviços bancários pela internet é muito mais seguro do que ir pessoalmente a uma agência, uma vez que as instituições investem muito em soluções robustas de segurança contra hackers. E em tempos de isolamento social por conta do coronavírus, sair de casa para ir a uma agência bancária deixou de ser uma opção. 

Limpeza do celular e aparelhos eletrônicos

Recentemente, Thiago deu dicas ao ConectaJá sobre como limpar o celular para evitar contaminação por conta do coronavírus. A dica: usar o álcool isopropílico 70, que é o recomendado por todos os fabricantes e pode ser encontrado em lojas virtuais ou em lojas que vendem aparelhos eletrônicos.

Memória do celular

O especialista recomenda não sobrecarregar a memória do celular, com jogos e aplicativos que nunca são usados. Essa é a maior causa de lentidão nos aparelhos. E durante o isolamento, esse tipo de prática deve aumentar muito, pois as pessoas ficam mais conectadas. Por isso, é importante desinstalar os aplicativos que não estão sendo usados. 

A tecnologia como aliada na quarentena

As restrições impostas pela quarentena têm feito as pessoas voltarem ainda mais suas atenções para o mundo digital. Dispositivos tecnológicos têm sido usados para socializar, trabalhar, aprender e se informar durante a pandemia. Veja abaixo algumas dicas da PROTESTE sobre ferramentas e também sobre como não cair em golpes virtuais e evitar as fake news.

tecnologia
Clique aqui pra ampliar a imagem.

Guia PROTESTE para o Consumidor - informações práticas sobre seus direitos na quarentena

LEIA AGORA GRATUITAMENTE