iPhone: duração de bateria é menor que a prometida

iPhone: duração de bateria é menor que a prometida

Entidade de defesa do consumidor do Reino Unido testou aparelhos e afirma: duração prometida em alguns casos é metade da anunciada

Um estudo realizado por uma entidade de defesa do consumidor do Reino Unido diz que a Apple superestima a duração da bateria do iPhone. O exagero vai de 18% a 51%, a depender do modelo, segundo a Which?.

A entidade analisou nove edições diferentes de iPhones, além de aparelhos de outras marcas. A maior diferença entre o anunciado e o real ocorreu no iPhone XR, um dos últimos modelos da companhia de Cupertino, EUA. O telefone descarregou com 16 horas e 32 minutos de conversação. Segundo a Apple, o celular tem 25 horas de autonomia.

Em nota, a Apple explica que testa rigorosamente seus telefones. E ressaltou também a integração entre software e hardware. Além disso, ela afirma que detalhes da metodologia usada não foram compartilhados.

A PROTESTE e os usuários de iPhone

Além dos modelos da Apple, a entidade testou produtos da HTC, Sony, Nokia e Samsung. Dessas, apenas a HTC apresentou números inferiores ao prometido. As demais marcas chagaram a subestimar o tempo de duração de conversa de seus aparelhos. Nos testes, chegaram a apresentar um tempo 21% maior de duração.

Alertamos aos consumidores para serem cautelosos ao analisar a expectativa de vida útil da bateria de telefones celulares. Pois elas podem variar de acordo com as alegações do fabricante.

Defendemos que as marcas informem com clareza e precisão informações relativas a seus produtos. Recentemente notificamos a Apple e a Anatel sobre a lentidão dos aparelhos iPhone após passarem por atualizações de software. Queremos que o consumidor seja devidamente informado sobre o tempo de duração do produto que ele está comprando.

Se você de alguma forma se sentir lesado, procure nossos especialistas em direito do consumidor. Eles vão te orientar sobre o passo a passo a ser tomado para obter, por exemplo, um ressarcimento, ou ainda um equipamento novo, por exemplo. Saiba ainda que se a empresa não resolver o seu problema, você pode entrar com uma ação na Justiça pedindo o ressarcimento.

Sabe aqueles momentos que você tem um problema mas não consegue resolver sozinho porque a empresa reclamada não está nem aí? São nesses momentos que a PROTESTE pode intervir e resolver para você! Conte com uma equipe em Defesa dos Consumidores e pare de se estressar!