Especialista dá dicas sobre como se portar em uma entrevista de emprego

Especialista dá dicas sobre como se portar em uma entrevista de emprego

Saiba como responder uma solicitação que parece vaga, porém é de extrema importância para a avaliação do recrutador: “conte-me mais sobre você”

De acordo com dados recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil tem hoje mais de 12,4 milhões de desempregados. E nesse cenário em que conseguir um emprego é tão difícil, as oportunidades que aparecem devem ser agarradas com unhas e dentes. Pois a partir deste conteúdo, o ConectaJá vai começar a dar algumas dicas para pessoas que querem se recolocar no mercado de trabalho. Ou mesmo conseguir o tão sonhado primeiro trabalho. E para começar, um assunto extremamente importante: como se portar em uma entrevista de emprego.

Dicas de especialista

Especializada em carreiras, a jornalista Juliana Porto escreveu um artigo para o blog da Robert Half, empresa líder mundial em recrutamento especializado, que iniciou em 2007 suas operações no Brasil e hoje conta com escritórios localizados em São Paulo, São Bernardo do Campo, Campinas, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Porto Alegre. 

A questão é uma maneira de quebrar o gelo e fazer você se sentir mais confortável durante o processo de entrevista. É também uma forma para o recrutador conhecer um pouco mais da sua personalidade para determinar se você é apto para a vaga.

Em seu texto, Juliana aborda uma situação específica que pode acontecer em qualquer entrevista. Aquele momento em que o recrutador faz uma solicitação vaga, porém importante para a avaliação do candidato: “conte-me mais sobre você”. De acordo com a autora, essa é uma das formas de o entrevistador começar uma entrevista de emprego.

“A questão é uma maneira de quebrar o gelo e fazer você se sentir mais confortável durante o processo de entrevista. É também uma forma para o recrutador conhecer um pouco mais da sua personalidade para determinar se você é apto para a vaga”, escreve a jornalista.


Equilíbrio no compartilhamento de informações

Compartilhe alguns de seus interesses que não sejam diretamente relacionados ao seu ramo de atuação, como um hobby, por exemplo.

De acordo com a especialista, ao fazer essa pergunta, o entrevistador, não necessariamente, quer saber muita coisa sobre o entrevistado. E é preciso que o candidato ache um equilíbrio entre não compartilhar informações demais ou de menos. Para Juliana, este momento pode ajudar a desenvolver uma aproximação mais pessoal entre os interlocutores. 

“Compartilhe alguns de seus interesses que não sejam diretamente relacionados ao seu ramo de atuação, como um hobby, por exemplo. Também vale mencionar interesses como corridas de longa distância ou ioga, que ajudam a preservar sua saúde”, aconselha Juliana.

Além do currículo

Outra questão que pode aparecer em entrevista é: “diga-me algo sobre você que não está no seu currículo”. Neste caso, segundo a especialista, o recrutador busca conhecer o candidato um pouco além da sua carreira, atitude e experiência no trabalho.

“Depois de compartilhar alguns interesses pessoais de sua vida, você pode mencionar algumas habilidades profissionais que ajudaria a adicionar valor se você fosse contratado para a vaga. Compartilhe sua expertise. Esteja pronto para compartilhar três ou quatro qualidades pessoais, habilidades ou expertises que lhe ajudariam a se sobressair no emprego para o qual você está sendo entrevistado”, escreve a especialista.


Preparação para a entrevista de emprego

Antes de chegar para a entrevista, Juliana aconselha que o candidato faça uma lista com seus pontos fortes, para ter a resposta na ponta da língua quando esse tipo de assunto surgir. Segundo ela, o ideal é fazer uma análise da descrição da vaga e combinar com suas habilidades. 

“Mas tenha cuidado para não sobrecarregar o entrevistador com muita informação. Depois de mencionar três ou quatro pontos fortes, você pode citar que tem vários outras habilidades que gostaria de discutir à medida que a entrevista se desenrola”, alerta a jornalista.

Outro ponto importante, de acordo com Juliana, é evitar temas polêmicos como política ou religião. Além de outros tópicos que possam causar preocupação em relação a sua ética, caráter, produtividade ou ética de trabalho. 

“Você também não precisa compartilhar informações pessoais sobre sua família. Não há necessidade de discutir assuntos relacionados a cônjuges, parceiros, filhos ou qualquer outra informação estritamente pessoal”, finaliza Juliana.

Sabe aqueles momentos que você tem um problema, mas não consegue resolver sozinho e não sabe quem procurar pra te ajudar? São nesses momentos que a PROTESTE está ao seu lado e pode resolver para você. Conte com uma equipe em Defesa dos Consumidores e pare de se estressar!