Empresas podem abrir contas em bancos pela internet

Empresas podem abrir contas em bancos pela internet

Disponíveis desde 2016 para pessoas físicas e MEIs, as contas de bancos abertas pela internet vão passar a fazer parte da realidade das empresas

Disponíveis desde 2016 apenas para pessoas físicas e microempreendedores individuais (MEI), as contas de banco abertas pela internet vão passar a fazer parte da realidade das empresas de qualquer tamanho. De acordo com informações da Agência Brasil, a novidade foi autorizada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) e já passa a valer imediatamente.

A conta aberta de forma eletrônica – por meio do site do banco ou de aplicativos – é igual a uma conta normal. Contudo, ela não exige do titular o deslocamento a uma agência bancária para a sua abertura.

Apps e segurança

De acordo com o chefe do Departamento de Regulação do Sistema Financeiro do Banco Central (BC), João André Pereira, a medida se justifica por causa do cenário de evolução tecnológica, que facilitou o desenvolvimento de aplicativos e dos controles de segurança.

João André Pereira, em entrevista à Agência Brasil:

Julgou-se viável dar mais esse passo para permitir a abertura [de contas] a pessoas jurídicas. Todas as regras de segurança, prevenção à lavagem de dinheiro, de controle, de identificação do titular continuam valendo

Empresas ainda têm restrições

Contudo, a autorização dada para as empresas pelo CMN foi apenas para a abertura por meio eletrônico. Portanto, o aval vale para as contas normais de depósito. Ou seja, as que oferecem livre movimentação, talão de cheques e operações de crédito (como cheque especial) e de investimentos.

Assim, as contas eletrônicas, que isentam o cliente de tarifas caso sejam movimentadas exclusivamente pela internet, por caixas eletrônicos e pelo celular, continuam a valer somente para pessoas físicas.

Já as contas de pagamento (também chamadas de pré-pagas) estão disponíveis tanto a pessoas físicas como a pessoas jurídicas. Sua característica é de não possuir cheque especial.

Aumento da concorrência

Concorrência

(Crédito: 123RF)

Segundo Pereira, a mudança vai melhorar a concorrência entre os bancos. Isso porque vai permitir a instituições financeiras com menos agências oferecer a abertura de contas a todos os públicos. “Esperamos impacto positivo na medida em que facilita o acesso a empresas menores. Isso pode estimular a concorrência entre as instituições”, explicou Pereira.

Mudanças no leasing

Adicionalmente, o arrendamento mercantil, também conhecido como leasing, ganhará uma classificação. O CMN separou essa operações nas modalidades de arrendamento financeiro e operacional.

Segundo o Banco Central, as classificações têm como objetivo adequar o sistema aos padrões internacionais mais recentes.

O leasing é uma modalidade que permite ao arrendatário optar por renovar a operação ou comprar o bem arrendado. Trata-se de uma operação semelhante a um aluguel e geralmente usada para máquinas e equipamentos.

Tipos de arrendamento

Com a nova classificação, o arrendamento operacional irá contemplar bens que logo são trocados por modelos mais atualizados. Segundo o BC, esse tipo de arrendamento costuma ser aplicado a computadores de empresas, que são alugados e periodicamente são renovados.

No arrendamento financeiro, o contrato se estende por praticamente toda a vida útil do bem. Concomitantemente com o fim do financiamento, é dada ao usuário a opção de comprar o bem 

Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE! Se você é associado e precisa de ajuda, entre em contato conosco pelo número 4003-3906, caso ainda não seja, ligue para 4020-1878.