Como configurar o roteador Wi-Fi para ter um sinal melhor

Como configurar o roteador Wi-Fi para ter um sinal melhor

Especialista dá dicas de como usar as melhores configurações no roteador Wi-Fi de forma a otimizar o alcance e velocidade

O bom funcionamento de roteadores Wi-Fi depende de uma série de fatores. Entre elas, a melhor posição do aparelho dentro de casa e o reforço na segurança. No entanto, existem outras configurações no firmware do seu roteador Wi-Fi que podem melhorar a sua conexão. Assim como novas tecnologias embutidas em aparelhos mais modernos. Para mostrar algumas delas, conversamos com o especialista em TI, Mário Spiller Maris.

Clique aqui para ler esta matéria: Como compartilhar a internet do PC com o celular?

1.Escolha do canal correto

O ideal é escolher o canal menos congestionado na sua região. A frequência de 2.4 GHz, utilizada pela maior parte dos roteadores Wi-Fi, é ocupada por telefones sem fio e babás eletrônicas. Portanto, é importante escolher um canal com menos ruído. Aplicativos que podem ser baixados no smartphone, como o Wi-Fi Analyzer, podem ajudar a definir o melhor canal.

2.Escolha da frequência

Roteadores mais novos trazem a opção de operar em uma frequência mais alta, de 5 GHz. Essa frequência tem um nível de interferência muito menor do que a de 2.4 GHz. Contudo, ela traz a desvantagem de ter alcance menor. Portanto, o sinal terá dificuldades em atravessar paredes e chegar a locais mais distantes do roteador. Além disso, nem todos clientes Wi-Fi trabalham com essa frequência.

3.Potência do sinal

Nos firmwares dos roteadores, há a opção de configurar a potência de transmissão do sinal. Normalmente são três níveis de potência. Nos mais modernos, são quatro. Ajuste para o nível mais alto. Obviamente, usar uma potência mais alta aumenta o consumo de energia do aparelho. Portanto, faça antes uma avaliação sobre se você realmente necessita do nível máximo de sinal.

4. Escolha do protocolo

Os roteadores mais modernos contam com protocolos Wi-FI que otimizam a conexão. Atualmente, são cinco os protocolos no mercado: A, G, B, N e AC. O protocolo A, o mais antigo, oferece maior velocidade, porém menor alcance. O B, maior alcance às custas de uma velocidade menor. O G é um misto do A e do B. Ou seja, combina boas taxas de transferência com bom alcance.

O N apresenta velocidades bem superiores ao G e alcance aumentado com o auxílio da tecnologia MIMO (sigla para Multiple Input Multiple Output ). Em resumo, o MIMO permite que mais de uma antena trabalhe em conjunto. Por último, o AC proporciona ganhos ainda maiores de alcance e velocidade. Além disso, pode proporcionar aos roteadores mais modernos o recurso Mesh, que aumenta o alcance e torna transparente para os dispositivos conectados a troca entre os roteadores conectados entre si.

5. Firmwares

Por último, há a opção de baixar firmwares com outras opções de customização. No entanto, essa é uma dica apenas para usuários experientes.

Como acessar o firmware do roteador

Para acessar o firmware do roteador, digite na barra de endereços do navegador o endereço ip de seu aparelho. Trata-se de um conjunto de número como esse: 192.168.1.1 ou 192.168.0.1. Para saber o número certo, consulte o manual do seu aparelho ou veja na parte de trás dele.  Faça login (o login e senha padrões também estão no manual ou na parte de trás do aparelho) e procure as configurações Wi-Fi ou Wireless. É lá que que você vai encontrar as opções mencionadas acima.

É importante lembrar que, dependendo do ano de fabricação do seu aparelho, algumas opções não estarão disponíveis.

Existem ainda outras dicas para melhorar o sinal dentro de um ambiente, sem a necessidade de mexer em configurações no firmware do equipamento.

Depois de configurado, teste sua velocidade em locais diferente do ambiente com o Velocímetro da PROTESTE.

 

Você tem problemas com a sua operadora? A PROTESTE pode te ajudar! RECLAME AGORA arrow_right_alt