Como manter as crianças seguras na internet?

Como manter as crianças seguras na internet?

Segundo pesquisa, 85% das crianças e adolescentes brasileiros estão na internet e isso acende o debate sobre a segurança dos pequenos no mundo digital

O mundo está a cada dia mais conectado e não há como fugir disso. E não só os adultos estão conectados como também as crianças e adolescentes – 85% desse grupo já está lá, segundo pesquisa da Cetic.br. Essa presença massiva, contudo acende um sinal amarelo: como manter as crianças seguras na internet?

Hoje tudo viraliza. Assim que entra na rede, se um vídeo é muito curtido ele logo chega a milhões de compartilhamentos e visualizações. No entanto, não há muito controle  do que chega às crianças e adolescentes. Além disso, uma pesquisa britânica apontou que mais de 40% das crianças fazem uso de tecnologias sem nenhuma supervisão dos pais. Ou seja, esses fatores formam o ambiente perfeito para esses conteúdos alcançarem as crianças.

Por isso, elaboramos algumas dicas para evitar que conteúdos inapropriados cheguem às crianças:

Educar digitalmente ajuda a manter as crianças seguras na internet

O primeiro passo para isso é a chamada educação digital. Pais e responsáveis devem ensinar as crianças a navegarem pela internet e a usarem as ferramentas digitais da melhor maneira possível. Além disso, devem ensiná-los a respeitara faixa etária dos conteúdos.]

+Leia também:
– Como educar as crianças num ambiente hiperconectado?
– Conteúdos maliciosos na web: saiba como proteger seus filhos

Procurar conteúdos adequados para elas

Hoje o mercado conta com uma gama de produtos específicos e direcionados para as crianças, que podem ser o melhor caminho quando ainda são muito pequenos e não têm discernimento para a escolha do que vão acessar. Essas plataformas fazem uma espécie de curadoria dos conteúdos próprios e disponibilizam para elas. Por exemplo, o YouTube Kids é uma delas.

Supervisionar tudo que as crianças veem

Apesar das plataformas que fazem essa curadoria, é importante que os pais façam a sua parte. Ou seja, devem ficar atentos a tudo o que seus filhos veem e explicar para eles quando um conteúdo não é apropriado. Existem ainda aplicativos que ajudam nessa supervisão, como o Google Family Link. No iOS, isso pode ser feito por meio das configurações do aparelho.

Supervisionar tudo que as crianças veem

Respeitar a fase e desenvolvimento da criança

O aprendizado leva um tempo diferente para cada pequeno e isso deve ser levando em consideração na hora de escolher um produto digital. Por exemplo, celulares podem ser grandes aliados no desenvolvimento cognitivo dos pequenos. Pense nisso!

A PROTESTE faz a sua parte em ajudar as crianças a se manterem seguras na internet. Temos uma parceria com o Google na iniciativa Web Segura. A iniciativa tem como objetivo promover mais segurança na internet e conscientizar a todos para a importância de proteger a privacidade do usuário na rede.

A iniciativa brasileira replica parceria existente no exterior por meio do Euroconsumer Group. A PROTESTE é associada ao grupo, que é a principal força de proteção ao consumidor na Europa. A conscientização dos usuários está dividida em seis pilares: conexão, dispositivos, contas, privacidade, compras e crianças.

Ainda não conhece a PROTESTE? Clique aqui e entenda como ajudamos o consumidor a defender seus direitos.