Acessos ao YouTube crescem durante o isolamento

Acessos ao YouTube crescem durante o isolamento

Com a quarentena, o uso do YouTube aumentou de forma significativa; entenda como a rede se tornou uma ferramenta importante para lidar com o isolamento.

Desde o início da pandemia, os acessos ao YouTube aumentaram de forma expressiva. De acordo com pesquisa da própria rede, cerca de 40% dos brasileiros declararam passar mais de três horas diárias assistindo aos vídeos da plataforma, depois do isolamento.

Os temas mais buscados, nesse período, foram dicas para trabalhar em home office, gastronomia e receitas, cursos, exercícios físicos e conteúdo infantil. Claramente, as pesquisas refletem a nova realidade da população, que busca informações para problemas comuns do dia a dia dentro de casa.

Além destes assuntos, as lives também contribuem tanto para o entretenimento quanto para minimizar os impactos do isolamento na saúde mental. “Artistas que estão na quarentena começaram a transmitir seus shows ao vivo, via YouTube, para milhões de pessoas, conseguindo recordes de público, como no caso da live da Marília Mendonça, que alcançou 3,2 milhões de acessos simultâneos”, comentou Thiago Porto, pesquisador da PROTESTE.

Plataforma reduziu qualidade para garantir acesso

A quantidade de acessos ao YouTube foi avaliada por meio dos termos mais buscados pelos usuários. De acordo com a plataforma, a busca do termo “em casa” aumentou 123% logo após o início do isolamento social, na segunda quinzena de março.

Na última semana de maio, um dos termos mais buscados no YouTube, de acordo com o Google Trends, que monitora o que os usuários procuram na rede, foi a palavra “live” ou “ao vivo”.

Além dos shows ao vivo, os usuários da rede assistem palestras on-line, conferem canais de notícias e acompanham postagens de youtubers. O próprio YouTube Brasil selecionou uma série de vídeos marcados com a hashtag fique em casa#comigo, onde reúne lives, receitas, treinos, dicas de desenho e artesanato, entre outros temas.

Com tantos acessos, o YouTube precisou reduzir a resolução dos vídeos, facilitando o acompanhamento por mais usuários. Com a mudança, os vídeos passarão a ser exibidos em resolução 480p (ou SD), conhecida como definição padrão.

A intenção, além de garantir o acesso, é não sobrecarregar a rede de dados, especialmente neste momento de isolamento, no qual outras soluções (como a telemedicina) são essenciais para preservar a qualidade de vida da população.

Confira as principais buscas no acesso ao YouTube depois da quarentena

Depois do início do período de isolamento social, alguns temas ganharam espaço nas buscas na plataforma:

  • receitas e dicas de cozinha, já que as pessoas estão mais tempo em casa e sentem necessidade de aprender a preparar seus próprios pratos ou diversificar a alimentação. A título de exemplo, a busca por “pão caseiro” cresceu 66% na primeira semana de pandemia;
  • treinos em casa, em modalidades diversas, como dança ou pilates;
  • dicas de economia e finanças pessoais;
  • cursos;
  • notícias em tempo real;
  • filmes e vídeos.

No entanto, conforme Thiago, apesar da grande ajuda da plataforma no cotidiano das pessoas durante a pandemia, alguns cuidados são indispensáveis. Confira as dicas do especialista:

  • qualquer arquivo pode vir com malware, como um vírus. Por isso, é imprescindível que os usuários não cliquem em qualquer link para baixar, somente baixem conteúdo de sites confiáveis, e tenham um bom internet security instalado;
  • os dados de internet são de uso intenso ao ver vídeos. Sendo assim é interessante que os usuários baixem os vídeos offline via wi-fi para ver depois. Alguns serviços já disponibilizam essa ferramenta, como o Netflix;
  • caso o YouTube seja usado por uma criança, é importante que ele esteja com controle parental ou com o YouTube kids instalado. Existem diversos tipos de aplicativos de controle parental e toda criança que possua um dispositivo deve ter supervisão de seus pais.

 

Sua internet está muito lenta? TESTE SUA VELOCIDADE arrow_right_alt